Declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda é uma obrigação das pessoas físicas que vão fazer a declaração referente ao ano de 2019.  

O período de declaração do IR acontece entre 7 de março a 30 de abril.   

A declaração precisa conter todas as suas fontes de rendas e também os seus investimentos sejam eles tributáveis ou não.  

Esse tipo de investimento é um dos mais escolhidos pelos os brasileiros que querem investir em renda fixa. Os títulos públicos emitidos pelo o governo federal são atraentes porque na maioria das vezes rendem mais que a poupança.  

Geralmente os investidores encontram facilidade para investir nessa aplicação, mas podem não ter a mesma facilidade para declarar o tesouro direto no imposto de renda.  

Por isso, vamos mostrar aqui como ela deve ser feita para que você evite problemas com a Receita Federal. 

Como declarar o tesouro direto no imposto de renda  

A Receita Federal exige que o contribuinte informe detalhadamente os seus rendimentos alcançados em títulos do Tesouro Direto. No entanto, você precisa ficar atento antes de fazer a declaração. 

Se o por acaso o desconto do imposto acontece apenas no momento que você faz o resgate do investimento, declaração no IR é diferente: o contribuinte deve informar se tiver feito o resgate ou tiver algum título em aberto. 

Por este motivo, vamos mostrar para você duas maneiras diferentes de declarar o tesouro direto no imposto de renda. 

Saldo de aplicações no Tesouro Direto 

Essa primeira maneira de declaração é para o contribuinte que ainda não resgatou o investimento e precisa informar que possui essa renda.  Observe o passo a passo: 

1º Passo 

Busque pela a aba: “Bens e Direitos” 

2º Passo 

Em seguida você deve inserir o código: código 45 “Aplicação de renda fixa (CDB, RBD e outros)”. 

3º passo 

Você precisa informar o seu país, o código para o Brasil é “105-Brasil”. 

4ºpasso 

Em seguida informe o CNPJ da instituição que possui a custódia do título, ou seja, a que faz a intermediação entre você e o título do Tesouro Direto. 

5º passo 

Logo após, no campo “Discriminação” você precisa preencher com o nome da instituição.  

6º passo 

O próximo passo é preencher o campo “Situação” você deve apresentar a situação do seu investimento desde o começo a até a data atual.  Esse valor é mostrado no informe de rendimentos que é um documento enviado pela sua corretora. 

Rendimentos de aplicações no Tesouro Direto 

Para você que fez o resgate do investimento, seja por vencimento ou por antecipação a declaração é feita de seguinte forma: 

1º passo 

Procure pela aba: “Rendimentos sujeitos a tributação exclusiva/definitiva”. 

2º passo 

Em seguida procure por “tipo de rendimento” e informe o código: 06 – rendimentos sobre aplicações financeiras.  

3º passo 

Faça o preenchimento do campo “tipo de beneficiário” e informe se é titular ou dependente.  

4º passo 

No campo “beneficiário” coloque os dados pessoais do titular ou dependente. 

5º passo  

Em seguida no campo “CNPJ da fonte pagadora” informe a instituição financeira que foi utilizada. 

 6º passo 

Logo após, em “nome da fonte pagadora” informe qual é o nome da instituição que apresentou o dado. 

7º passo 

Por fim, em “valor” você precisa informar qual foi o valor do rendimento final. Em todos os passos observe em qual aba deve ser declarado, o número do item, CNPJ, nome da fonte pagadora e etc. 

Conclusão  

Esses são os procedimentos que você deve realizar quando for realizar a declaração do investimento em seu imposto de renda. No entanto, caso tenha alguma dificuldade procure um contador para fazer declaração.  

Por outro lado, é importante destacar que Tesouro Direto faz parte do grupo que aplicações tributáveis, isso significa que possui determinado obrigatória para arrecadação e para pagamento de tributos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *